Angola's First
Skate Park

Luanda
1
Contexto

Angola, o sétimo maior país da África, é um país em movimento que se situa no extremo ocidental do continente. No seu passado recente, atravessou condições que infelizmente não são desconhecidas para uma nação africana. Uma guerra civil que durou 25 anos e só terminou em 2002. Embora tenha havido um período de rápido crescimento econômico fomentado pela reserva de petróleo do país, nunca conseguiu recuperar da devastação ocorrida. A ineficaz gestão dos recursos, a caída dos preços globais do petróleo, e uma subsequente recessão provocou o aumento do nível de pobreza.

Além disso, o país está atualmente a lutar contra um surto de febre amarela, uma doença hoje considerada como evitável. Trata-se de um dos piores casos que o mundo enfrentou na sua história recente.

Em contraste, pode ficar surpreendido ao saber que a capital de Angola, Luanda, é uma das mais caras cidades do mundo, tendo ultrapassado Nova Iorque e São Francisco. O surto de petróleo levou ao desenvolvimento de uma classe alta extremamente abastada provocando também extremas taxas de inflação. Os preços do aluguer e da alimentação têm subido, aumentando a já importante diferença entre os ricos e os pobres. As desigualdades e a corrupção são moeda corrente em Angola.

Talvez em resposta à desigualdade e à corrupção de Angola, o país tornou-se recentemente num autêntico viveiro para fotógrafos, artistas, e pensadores progressistas que estão a mobilizar novas gerações para a mudança.

É aqui onde o skateboarding entra em ação. É um dos numerosos vetores que permitirá que as forças criativas do país se possam exprimir. Desde o seu nascimento na Califórnia, nos finais da década de 40, o skateboarding tem-se fortalecido como uma arma para a juventude crescer, questionar e promover um pensamento positivo nos vários cantos do mundo. Nós queremos proporcionar a ferramenta que ajudará a fazer a diferença aqui, em Angola

2
Future

Tóquio 2020. Alcançar os jogos olímpicos pode parecer um sonho distante. Mas esses jogos irão fazer história com a longa e esperada introdução do skateboarding no registo dos desportos olímpicos. Nascido nos bairros desfavorecidos para uma juventude não-conformista a fim de escapar às regras e às tradições do dia a dia, o skateboarding foi durante muito tempo um desporto mal-entendido. Hoje é reconhecido pela maior instituição desportiva do mundo. No entanto, não se trata de um momento para lamentar a perda da sua natureza rebelde, mas sim para se constatar que este é um verdadeiro passo em frente para fazer do skateboarding um desporto mais acessível, dando-lhe uma maior audiência e uma visão mais abrangente da sua cultura tão característica.

Em 2020, Angola enviará os seus atletas para Tóquio para competir na área do skateboarding. Enviar uma equipa para representar a nação será um passo tangível para aumentar o reconhecimento do desporto, dando também à juventude angolana a oportunidade para criar a sua própria mudança. Isto é possível mediante um desporto que promove a igualdade de género, um estilo de vida saudável e pensamento criativo.

Existe uma verdadeira determinação entre os jovens para investir neste desporto, nesta cultura. Mas a falta de instalações para treinar e a falta de material adequado impedem o desenvolvimento deste desporto. Por conseguinte, percebemos que agora há uma oportunidade que deve ser aproveitada para o apoio dos mais jovens em Angola.

CJF, ASU e New Line, três organizações de skateboarding, trabalharão em conjunto para construir o primeiro skatepark exterior em betão de Angola no Campo Polivalente Vila Estoril. O objetivo, como sempre, será de fazê-lo de uma maneira amiga do meio-ambiente e de proporcionar à comunidade local um espaço público e educativo para a sua juventude. A equipa nacional poderá usufruir diariamente deste espaço para os seus treinos enquanto inspira outros adolescentes a ganhar novos conhecimentos e a desenvolver as suas competências.

3
Campaign

O CJF está consciente da oportunidade que tem para apoiar e ser parte da mudança social em Angola. Somos responsáveis pelo financiamento e a construção do skatepark. Este será concebido pela New Line Skateparks, uma empresa mundial de Conceção e Construção de Skateparks situada no Canadá. Igualmente ao projeto anterior do CJF, a ideia será a de recolher e utilizar os recursos locais e os materiais da lixeira, demonstrando assim à comunidade que até detritos podem ser transformados em algo benéfico e de maior utilidade.

O custo total está estimado em cerca de $25,000 e será financiado através da Generosity (10K), uma plataforma de doação de confiança, como também através de grandes patrocinadores que partilham a mesma visão, acreditam na mudança social através do skateboarding e que querem apoiar-nos a fazer a diferença em Angola.

Estamos preparados e empenhados a trabalhar com os patrocinadores que partilham connosco a mesma visão, que acreditam numa mudança social através do skateboarding, e que poderão ajudar-nos a fazer a diferença em Angola.

Por favor, contacte-nos para exigir um kit de media/parceria e começar a colaborar connosco. A sua ajuda, seja qual for, será mais do que necessária!

4
Partnership

Concrete Jungle Foundation is proud to partner with the Angola Skateboarding Union (ASU) and New Line Skateparks to build the very first skatepark of Angola, which will be free and open to the public. We share the same belief that skateboarding can be a positive seed of influence for the development of Angola’s new age.

ANGOLA SKATEBOARDING UNION (ASU) é uma organização para a juventude de Angola que tem como objetivo a promoção das vantagens dos estilos de vida ativos e o desenvolvimento positivo dos jovens através da arte do skateboarding. Atualmente, não há lugares para os skaters de Angola. Os jovens estão frequentemente sujeitos a ameaças com repressões, ou até mesmo detenções, ao tentarem encontrar um espaço para a prática do desporto. Apoiar a causa do skateboarding local é a melhor maneira de fazer crescer a nova era de Angola, pois, cada vez mais pessoas, jovens e menos jovens, começam a adotar o skateboarding. Encorajar a prática desta atividade desportiva não tradicional fornecendo instalações seguras para treinos é contribuir, assim, para a alegria de praticar o skateboarding em Angola.

A nova equipa Line é composta por arquitetos paisagísticos, experts em engenharia, especialistas de planificação bem como por profissionais da construção aficionados e ativos. O seu objetivo de “Building Skateboarding” incentiva-os a oferecer concepções de ponta e ambientes autenticados que possibilitam autonomia aos jovens e criam uma ligação significativa entre os skaters e a comunidade onde vivem.